Hidrelétrica Salto Grande promove ação para controle de plantas aquáticas

Rebaixamento do reservatório ocorre anualmente para exposição e retirada das plantas; ação é realizada em parceria com a prefeitura

A CTG Brasil inicia neste domingo, dia 01/09, o rebaixamento do reservatório da Usina Hidrelétrica Salto Grande. A ação, que tem como objetivo o controle das plantas aquáticas, se estende até o dia 14/09 e é realizada em parceria com a prefeitura de Salto Grande. Nesse período, o nível do reservatório da usina será rebaixado para a faixa de operação entre 382,00 a 382,50 metros acima do nível do mar. A faixa de operação normal do reservatório é entre 383,80 e 384,67 metros.

Com a redução do nível do reservatório, as plantas aquáticas ficam expostas na região seca e se desidratam, o que facilita a coleta e remoção. O procedimento de redução do nível do reservatório está alinhado com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Marinha do Brasil, e autorizado pelo Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Realizado anualmente, o controle preventivo ocorre sempre no período que antecede o brotamento de novas plantas. A ação tem parceria com a Prefeitura de Salto Grande, que, entre os dias 11 e 13/09, promoverá a coleta dos materiais. “A redução do nível da água expõe as plantas aquáticas nas bordas do reservatório, possibilitando sua remoção pela prefeitura”, explica Aljan Machado, diretor de Saúde, Segurança, Qualidade, Meio Ambiente e Patrimônio da CTG Brasil.

A redução das plantas diminui a chance de perda momentânea de potência das turbinas, garantindo a disponibilidade de energia, e colabora também para o meio ambiente e para os usos múltiplos do reservatório por toda a população local. “A ação contribui para a exploração sustentável do turismo, a navegação, a pesca esportiva, além de influenciar na captação de água para o abastecimento público, a piscicultura e a irrigação”, complementa Machado.

O meio ambiente também é favorecido com o controle das plantas aquáticas. Com a redução das plantas, a tendência é ampliar o fluxo de água nos braços do reservatório de Salto Grande, além de aumentar o oxigênio no período noturno, favorecendo as populações de peixes.