CTG Brasil e Ashoka lançam iniciativa de inovação em turismo sustentável

A iniciativa vai apoiar projetos com recursos financeiros, mentoria e mapeamento de tendências, no momento em que o setor do turismo precisa se reinventar diante da pandemia

Você tem uma iniciativa inovadora em Turismo Sustentável, que promova a transformação social e o desenvolvimento local? Esta pergunta é o ponto de partida do projeto Trilhando a transformação: Desafio de Inovações em Turismo Sustentável, que abre suas inscrições em 1o de julho para premiartrês inovações sociais que apresentem propostas transformadoras de desenvolvimento e gestão do turismo. Cada vencedor do desafio receberá R$ 100 mil, além de participar de um processo de mentoria e aceleração em 2021.

O desafio é realizado pela CTG Brasil e a Ashoka e busca apoiar projetos de turismo que promovam o desenvolvimento local, gerem transformação social, fortaleçam as comunidades como protagonistas e se estruturem a partir da colaboração de diversos atores. Propostas que reforcem questões de diversidade, inclusivas, afirmativas, de gênero e raciais serão especialmente valorizadas. As inscrições devem ser feitas neste link até 31 de agosto.

De acordo com a diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, Salete Hora, “impulsionar o turismo sustentável no País se torna ainda mais urgente e relevante diante dos impactos da pandemia de Covid-19”. Para ela, “é cada vez mais evidente a necessidade de que governos, comunidades e organizações mundiais atuem ao lado de empresas, cidadãos, consumidores e sociedade civil para alcançar objetivos de transformação dos modelos existentes, recuperação do setor nesse momento de crise e desenvolvimento das comunidades de forma mais sustentável. Queremos oferecer apoio para consolidar e acelerar esses processos”.

Rafael Murta Reis, líder da estratégia de empreendedorismo social da Ashoka Brasil explica que, no âmbito do desafio, o turismo sustentável pode ser entendido como um importante vetor de desenvolvimento local. “A atividade turística possui grande relevância para os territórios, principalmente quando assume papel transformador, promovendo a inovação, a economia local, a inclusão, a educação, a valorização de culturas e a preservação do meio ambiente, entre muitos outros benefícios”, avalia.

O desafio vai apoiar soluções inovadoras em todo o território nacional, pautadas em construir novos modelos de turismo estruturados nos quatro pilares da sustentabilidade: social, cultural, ambiental e econômico. As candidaturas devem estar relacionadas a pelo menos duas dessas dimensões.

 

Uma nova trilha para o Turismo

Com seus sete mil quilômetros de praias, a maior floresta tropical do mundo, uma densa biodiversidade e a maior reserva de água doce do planeta, com rios extensos e de grande volume de água, o Brasil tem no turismo um segmento fundamental para inúmeros campos do desenvolvimento. Estima-se que o setor seja responsável por empregar mais de 2 milhões de brasileiros, de acordo com dados do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, de 2018).

A atividade turística, no entanto, foi uma das mais afetadas pela  Covid-19 e pelas medidas de isolamento social. No Brasil, as perdas do setor são estimadas em R$ 62 bilhões para 2020.  Se o setor já vinha se mobilizando para buscar novas formas de democratizar oportunidades e benefícios no turismo, com a pandemia  enfrenta o desafio de se reconstruir por completo, diante de um cenário que requer mais segurança e sustentabilidade.

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia renovável no País, está investindo um total de R$ 2,1 milhões no projeto, por meio de recursos financeiros destinados pela empresa ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor de Energia Elétrica, promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

 

Prêmios e Benefícios

Além do prêmio em dinheiro, as três iniciativas vencedoras participarão de um processo de aceleração em 2021 e serão contempladas com atividades de mentoria e assessoria em gestão financeira para a aplicação dos recursos recebidos. Serão produzidos, ainda, conteúdos audiovisuais destinados a apresentar e divulgar as propostas dos dez finalistas. Por fim, o projeto prevê a ativação de uma rede de empreendedores sociais e comunidades capazes de dialogar e construir soluções conjuntas para o futuro do setor.

A definição dos vencedores está prevista para o final de novembro, quando também será apresentado o Mapeamento de Tendências de Inovação Social para o Turismo Sustentável. A publicação sistematizará o conhecimento de especialistas e empreendedores sociais no campo do turismo, além de destacar o trabalho dos semifinalistas e finalistas do desafio na composição da pesquisa. A intenção, ao final, é favorecer a replicabilidade e escalabilidade de soluções para todo o território brasileiro.

“Ao pesquisar e sistematizar as inovações do setor, queremos contribuir identificando caminhos possíveis para práticas sustentáveis no turismo” acrescenta Rafael Murta Reis. A perspectiva é que as iniciativas possam impulsionar mudanças sociais sistêmicas, seja pelas políticas públicas, por mudanças nas dinâmicas de mercado e produção, ou por uma nova mentalidade em relação à prática da atividade turística, com potencial de transformar territórios e experiências interculturais”, conclui.