Rio Paranapanema Energia recebe Troféu Transparência Anefac

Companhia de geração de energia limpa está entre as empresas vencedoras da 25ª edição do prêmio pela clareza e consistência de suas demonstrações financeiras

A Rio Paranapanema Energia S.A, subsidiária da CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa do país, recebe pela quarta vez o Troféu Transparência Anefac, que reconhece as companhias com as melhores demonstrações financeiras do país em termos de transparência. A companhia foi escolhida para receber o prêmio na categoria Empresas com Receita Líquida até R$ 8 bilhões por apresentar informações objetivas, confiáveis e relevantes em seu balanço financeiro de 2020.

“A integridade é um dos valores que direcionam a nossa atuação e cada vez mais temos buscado fortalecer a transparência no relacionamento com nossos públicos e com a sociedade como um todo. Essa premiação, referente ao balanço financeiro de um ano atípico por conta da pandemia de Covid-19, reconhece esse nosso compromisso com a transparência e a ética, inclusive nos cenários mais adversos”, afirma Carlos Carvalho, CEO da Rio Paranapanema Energia S.A.

Conhecido como o “Oscar da Contabilidade Brasileira”, o troféu foi criado em 1997 e é uma iniciativa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (FIPECAFI) e a Serasa Experian. Nesta edição, a Rio Paranapanema Energia foi premiada junto com outras 24 empresas, avaliadas pela qualidade e grau de transparência das informações contidas nas suas demonstrações financeiras e notas explicativas, assim como pela clareza do Relatório da Administração e consistência dos dados divulgados.

A Anefac é uma das principais referências do Brasil para o desenvolvimento das melhores práticas de transparência nas demonstrações financeiras tanto nas empresas privadas como nas públicas.

CTG Brasil tem 100% das operações certificadas em quatro normas internacionais

Práticas em Gestão de Ativos, Meio Ambiente, Qualidade, e Saúde e Segurança foram reconhecidas e certificadas pelas normas ISO, colocando a companhia entre as protagonistas na certificação de parques de geração de energia no Brasil

 A CTG Brasil, umas das líderes em geração de energia limpa no País, passou por auditoria externa e obteve as certificações ISO que estabelecem padrões internacionais para práticas em Gestão de Ativos, Meio Ambiente, Qualidade, e Saúde e Segurança. As certificações abrangem as 14 usinas hidrelétricas operadas pela empresa e colocam a companhia entre as protagonistas na certificação de parques de geração de energia no Brasil para esses referenciais normativos.

As auditorias da Fundação Vanzolini atestaram que as operações da CTG Brasil estão em conformidade com a ISO 55001 (gestão de ativos), ISO 45001 (gestão de saúde e segurança), ISO 14001 (gestão ambiental) e ISO 9001 (gestão da qualidade). Os processos corporativos e locais relacionados a operação, manutenção e administração para geração de energia elétrica também foram auditados e fazem parte do escopo das certificações.

O gerente do Sistema de Gestão Integrado da CTG Brasil, Jacques Vigato, reforça que a conquista é resultado de um trabalho intenso que começou há mais de 2 anos com o objetivo de implantar um sistema de gestão integrada, incluindo a ISO 55001 de Gestão de Ativos, com melhoria de processos e alinhamento ao propósito e aos valores da empresa. Durante esse período, os planos de ação envolveram mais de 30 gestores e 350 profissionais e parceiros diretamente.

“Além de reforçarem o nosso protagonismo, as certificações são um reconhecimento às nossas práticas de Gestão de Ativos, Meio Ambiente, Qualidade, e Saúde e Segurança. Buscamos aprimorar as nossas ações e nos superar a cada dia, sempre com foco na melhoria contínua, e as certificações vêm para consolidar essa atuação e o nosso compromisso de longo prazo com o País. Entre as práticas que reforçam essa nossa busca pela excelência e que contribuíram para a certificação estão os monitoramentos de risco dos ativos e de requisitos legais – são cerca de 31 mil obrigações – para todas as usinas”, completou Vigato.

CTG Brasil prorroga inscrições para Programa de Estágio até 20/12

São 20 vagas no escritório de SP e nas usinas Chavantes e Ilha Solteira para estudantes de cursos superior e técnico com formação prevista para 2023 e 2024

 A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, prorrogou até 20 de dezembro as inscrições para o Programa de Estágio 2022, que busca de talentos para compor o time de profissionais da empresa no escritório de São Paulo (SP) e nas usinas Chavantes (SP) e Ilha Solteira (MS).

Ao todo, são 20 vagas para estudantes de cursos de graduação (Engenharias Elétrica, Civil, Mecânica, Ambiental/Florestal, da Computação, e de Energia; Meteorologia/Ciências Atmosféricas; Matemática; Física; Economia; Estatística; Administração de Empresas; Ciências da Computação; Tecnologia e Segurança da Informação; Direito; Biologia; Geografia; Agronomia; Psicologia; Pedagogia) ou técnicos (Mecânica ou Mecatrônica; Técnico em Eletrônica, Eletrotécnica, Elétrica e Automação), com previsão de conclusão em dezembro de 2023 ou 2024.

No caso das 17 vagas para o escritório de São Paulo e para a Usina Chavantes, o processo seletivo será totalmente online e envolverá análise curricular, testes, entrevista com a consultoria de recrutamento, painel e entrevista com o gestor da área de trabalho, admissão e entrega dos documentos. Para participar, os estudantes de graduação devem se inscrever em https://ctg.across.jobs/.

Na Usina Ilha Solteira são três vagas de estágio nível técnico para atuar nas áreas de Operação Local, Manutenção Mecânica e Manutenção Eletroeletrônica. Os candidatos devem cadastrar o currículo e se inscrever em https://jobs.kenoby.com/ctgbrasil/job/estagiario-intern/6172de1d83b4d524813259f4?utm_source=website. O processo seletivo inclui análise curricular, painel e entrevistas com a área de Pessoas e Cultura e com o gestor da área de trabalho.

O início do estágio está previsto para fevereiro de 2022 e tem duração de até dois anos. O conhecimento no pacote Office é pré-requisito para todas as posições, enquanto o inglês é desejável apenas para as vagas de graduação (não eliminatório). O programa irá valorizar habilidades como senso de dono e cuidado com pessoas, adaptabilidade, agilidade, perfil colaborativo e eficiência.

Oportunidade para cursos específicos

O Programa de Estágio 2022 inclui vagas para estudantes de cursos específicos, como Meteorologia e Ciências Meteorológicas, que terão a oportunidade de atuar na área de Engenharia de Renováveis da companhia.

Graziella Gonçalves, meteorologista da CTG Brasil, conta que o principal objetivo deste profissional é suportar, por meio de informações, análises e previsões meteorológicas, os processos relacionados ao planejamento da geração de energia limpa. “Por ser uma empresa que gera energia limpa por meio de fontes renováveis, o trabalho do meteorologista é extremamente importante e valorizado, pois as informações fornecidas são fundamentais para o processo de geração e comercialização de energia. Além disso, na CTG Brasil, por ser uma empresa de origem chinesa, temos a possibilidade de conviver em um ambiente multicultural, com muita troca de conhecimento e experiências, o que, junto a outras ferramentas disponibilizadas pela empresa, contribui para o nosso desenvolvimento profissional”, comenta Graziela.

CTG Brasil e REIVAX desenvolvem sistema pneumático sustentável

A solução para regulação de turbinas de pequeno porte é inédita no setor de geração de energia no Brasil e utiliza ar comprimido como alternativa ao óleo hidráulico

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, e a REIVAX, multinacional brasileira líder no fornecimento de equipamentos para o controle da geração de energia, estão desenvolvendo uma solução pioneira e inovadora para o mercado. Trata-se de um sistema para regulação de velocidade com acionamento pneumático que pode ser utilizado em turbinas de pequeno porte. A iniciativa foi desenvolvida dentro do programa Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da ANEEL, com investimento de R$ 3 milhões da CTG Brasil. A solução contempla um conjunto de válvulas e atuadores lineares pneumáticos para o controle de velocidade da unidade geradora.

Além disso, o sistema também aciona a válvula borboleta de entrada de água por meio de um macaco hidropneumático, que controla as velocidades de abertura e fechamento, e evita o efeito do golpe de aríete, ou seja, danos causados por variação brusca de pressão. “É um sistema simples, acessível e sustentável, já que utiliza ar comprimido em vez de óleo, diminuindo a produção de resíduos químicos e gerando uma operação limpa. Outras vantagens são os custos de aquisição, que são cerca de 45% menores do que os equipamentos hidráulicos convencionais, instalação mais simples e diminuição da necessidade de manutenções”, explica Leonardo Weiss, coordenador do projeto pela REIVAX. 

O desenvolvimento atende às exigências de normas internacionais, que regulamentam o funcionamento de sistemas de automação e controle aplicados a geração hidrelétrica, nos quais é essencial a operação precisa e segura para manter a qualidade na geração de energia elétrica e integridade do equipamento. Além dessas exigências de desempenho, estão sendo considerados a robustez e o custo-benefício dos equipamentos.

 

Trazer para o setor elétrico uma solução de um sistema de regulação de velocidade acionado totalmente com ar comprimido (pneumático) vai ao encontro das prioridades da CTG Brasil. Nos preocupamos com a eficiência operacional das nossas usinas e com a preservação do meio ambiente. E temos como premissa buscar soluções inovadoras para os desafios da empresa, do setor elétrico e da sociedade. A conclusão desse projeto reforça o nosso trabalho para colocar essas prioridades em prática, no dia a dia”, ressalta Cesar Teodoro, diretor de Engenharia da CTG Brasil.

 

Projeto piloto já está sendo testado em hidrelétrica da CTG Brasil em SP  

A solução foi testada em um grupo auxiliar da Usina Salto Grande, uma das hidrelétricas sob concessão da CTG Brasil, localizada no rio Paranapanema entre os municípios de Salto Grande (SP) e Cambará (PR). Para Renato Castilho, gerente de Engenharia de Eletromecânica da CTG Brasil, o desempenho do sistema nos testes está dentro da expectativa. “Os resultados preliminares mostraram que o protótipo foi capaz de suportar as condições operacionais normalmente previstas em unidades geradoras de pequeno porte, como as da Usina Salto Grande”, reforçou ele.

 

O sistema está passando por um período de monitoramento e avaliação de desempenho, e poderá ser comercializado a partir de 2022. Para a REIVAX, a solução é uma oportunidade de inserção no mercado de micro e pequenas centrais hidrelétricas. “A nossa expectativa é de consolidar o uso da tecnologia de baixo custo no controle pneumático em turbinas hidrelétricas de pequeno porte, preenchendo uma lacuna existente no mercado brasileiro. Esse é um nicho que está crescendo bastante, e que representa uma oportunidade de aumentar nossa competitividade”, comenta Fernando Amorim da Silveira, CEO da REIVAX. 

SENOP debate impactos e desafios do setor elétrico no pós-pandemia

Organizada pela CTG Brasil, a 10ª edição do evento acontecerá de forma virtual entre 23 e 26 de novembro e reunirá especialistas para discutir a evolução do segmento

Em sua 10ª edição, o Seminário Nacional de Operadores de Sistemas e de Instalações Elétricas (SENOP), um dos mais importantes fóruns brasileiros voltados para equipes de operação em tempo real do Sistema Interligado Nacional (SIN), será realizado entre 23 e 26 de novembro de forma virtual, seguindo os protocolos de segurança para o combate à pandemia de Covid-19. Neste ano, coordenado pela CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, o evento trará como tema central a “Operação pós-pandemia: impactos, desafios e aprendizados”. As inscrições gratuitas e limitadas podem ser feitas pelo site do evento.

O objetivo do seminário é promover a excelência da operação no sistema elétrico brasileiro, por meio do aprimoramento e evolução profissional das equipes responsáveis. A iniciativa é promovida pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e apoiada pelo Comitê Brasileiro da Comissão de Integração Energética Regional (BRACIER).

“O País enfrenta a pior crise hídrica dos últimos 100 anos, com forte impacto no preço da energia elétrica e, por consequência, sobre a inflação. Neste mesmo momento, o mundo encontra dificuldades energéticas para a retomada do crescimento. Por isso, reunir os profissionais responsáveis pela operação do sistema elétrico brasileiro, na busca de uma maior eficiência para o setor, faz com que a importância deste SENOP extrapole a dimensão setorial, tendo também uma importância socioeconômica”, afirma Evandro Vasconcelos, vice-presidente da CTG Brasil.

Na avaliação do executivo, o SENOP é uma oportunidade valiosa para troca de experiências e informações sobre a evolução do setor elétrico, principalmente no cenário de pandemia, que ainda apresenta muitos desafios. “Por sua complexidade, o setor demanda uma constante atualização dos profissionais que atuam em geração, transmissão e distribuição. Desta vez, com o formato online e inscrições gratuitas, a ideia é tornar o evento ainda mais acessível e atrair um público ainda maior, incluindo operadores e profissionais do setor elétrico de todo o País”, completa Evandro.

A tradicional visita técnica, realizada sempre na abertura do evento, neste ano, será virtual e mostrará o funcionamento da Usina Ilha Solteira, operada pela CTG Brasil no rio Paraná. Trata-se de uma hidrelétrica importante para o setor elétrico brasileiro e estratégica para o atendimento à demanda do SIN. Além de explicar e mostrar como a usina gera energia limpa, a visita virtual traz informações sobre a sua história e seu projeto de modernização – o maior em andamento no País e que abrange também a Usina Jupiá. Confira em www.senopvirtual.com.br.

Para a transmissão do seminário, a CTG Brasil organizou todo o conteúdo em uma plataforma digital interativa, que reunirá apresentações e participação ao vivo dos palestrantes para um debate. Serão abordados temas como capacitação, gestão e pandemia, ministrados por especialistas de empresas e instituições do setor. O ambiente online também contará com uma feira virtual, onde empresas mostrarão suas marcas, produtos e serviços, e a interação e troca de experiências entre empresas e participantes ficará por conta de uma rede social integrada à plataforma.

Além da organização da CTG Brasil, o 10º SENOP conta com o patrocínio das empresas SPIC Brasil, ONS, SENAI, Engie, Norte Energia, Taesa, ISA CTEEP, Copel, Cemig, CGT Eletrosul, CESP, EDP e Lactec.

Painel estratégico

Um dos principais painéis estratégicos acontecerá dia 25 de novembro, às 9h, e provocará os participantes a debater as perspectivas e desafios da operação nos próximos anos. “O setor elétrico está percebendo cada vez mais a necessidade de se modernizar, fator essencial para a evolução da matriz energética brasileira”, acrescenta o vice-presidente da CTG Brasil. Vasconcelos abordará ainda, no painel, temas como digitalização, os desafios em operar em um sistema de alta complexidade, diversificação da matriz, modernização e manutenção para a sustentabilidade dos ativos, arcabouço regulatório, entre outros. Também participam desse painel Antonio Pardauil, diretor de Operação e Manutenção da Eletronorte, Sinval Zaidan Gama, diretor de Operação do ONS, e Gianfranco Corradin, gerente de Execução da Operação da ISA CTEEP.

A programação completa está disponível em www.senopvirtual.com.br.

CTG Brasil organiza webinar sobre Plano de Ação de Emergência de barragens no rio Paranapanema

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País e concessionária de oito usinas hidrelétricas no rio Paranapanema, organiza o webinar “Implantação do Plano de Ação de Emergência das barragens do rio Paranapanema”. O evento, que acontece dia 28 de outubro, é uma realização do Ministério Público Federal (MPF) de Ourinhos e conta com apoio da Unesp e das empresas Enel e Votorantim Energia, ambas também responsáveis pela operação de usinas hidrelétricas na região.

O objetivo é discutir as estratégias de implantação do Plano de Ação de Emergência (PAE), das barragens das usinas do rio Paranapanema. O documento, de caráter preventivo, é elaborado pelas concessionárias e entregue para defesas civis e prefeituras de municípios com população localizada em áreas consideradas de risco – também chamadas Zonas de Autossalvamento (ZAS).

Estão previstas participações de representantes do Poder Judiciário e do Poder Público, como prefeituras, Defesas Civis Municipais e Estadual, Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Bombeiros e comunidade acadêmica.

O evento é gratuito e aberto para toda a comunidade. Saiba mais sobre a programação e inscrições clicando aqui.

Serviço
Segurança de Barragens, Plano de Ação de Emergência e Operação de Usinas Hidrelétricas no Rio Paranapanema

Dia 28/10, quinta-feira

Das 9h às 11h30

www.paerioparanapanema.com.br

Inscrições gratuitas

Ilha Solteira (SP) promove Festival Nacional de MPB

Em sua 46ª edição, evento conta com patrocínio da CTG Brasil e será realizado entre os dias 1 e 4 de dezembro. Artistas de todo o País podem se inscrever até 29 de outubro

 Encerram-se no dia 29 de outubro as inscrições gratuitas para a 46ª edição do Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira, realizado pelo Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura, com execução da Fundação Cultural de Ilha Solteira, em parceria com a Prefeitura e o patrocínio, via Lei de Incentivo à Cultura, da CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País e concessionária da Usina Ilha Hidrelétrica Solteira.

Um dos festivais de música mais tradicionais do Brasil volta a ser realizado de maneira presencial após um hiato de quase dois anos, devido à pandemia de Covid-19. As apresentações ocorrerão na Praça da Integração, no centro de Ilha Solteira, entre 1 e 4 de dezembro. Compositores e intérpretes de todo o País podem participar. As inscrições das músicas poderão ser feitas até  29 de outubro, pela internet. Basta preencher a ficha de inscrição que consta no regulamento que está disponível no site www.ilhasolteira.sp.gov.br.

Após o período de inscrições, as canções recebidas passarão por uma comissão de triagem, que selecionará dez músicas de Ilha Solteira para a Noite Ilhense, no dia 1º de dezembro; e outras 20 canções vindas de todo o país para a Fase Nacional, que ocorre nos dias 2 e 3 de dezembro. A grande final, para a qual avançam quatro músicas selecionadas da Noite Ilhense e dez da Fase Nacional, será no dia 4 de dezembro. Os prêmios vão de R$ 400 a R$ 6 mil.

“Patrocinar o Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira é uma forma de reforçar nosso compromisso com a economia criativa e a cultura no Brasil. Esse é um dos festivais de música mais importantes do país, e ele nos oferece a oportunidade de fazer parte da história da cidade e da vida dos ilhenses. Para nós, é sempre uma grande alegria e orgulho fazer parte disso”, diz Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil.

“Ter apoiadores com olhar profissional e competente, como a CTG, é muito importante para o evento. Hoje, o festival tem por tradição revelar talentos, é um dos eventos mais queridos do segmento”, afirma Tavinho Limma, coordenador artístico e apresentador do Festival.

Mais informações sobre o 46º Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira podem ser obtidas pelo telefone (18) 3743-6022 ou pelo e-mail mpbilhasolteira@gmail.com.

Premiação do 46º Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira

1º. Lugar (Prêmio Mitsuru Oda): R$ 8.000,00 + troféu

2º. Lugar: R$ 6.000,00 + troféu

3º. Lugar: R$ 4.000,00 + troféu

4º. Lugar: R$ 2.700,00 + troféu

5º. Lugar: R$ 1.700,00 + troféu

6º. ao 14º Lugares: R$ 400,00

“Prêmio Rachel Dossi” – Melhor música de Ilha Solteira: R$ 1.500,00 + Troféu

“Prêmio Alcides Garcia” – Melhor intérprete de Ilha Solteira: R$ 1.500,00 + Troféu

“Prêmio Tereza Albuquerque” – Melhor Intérprete: R$ 1.500,00 + troféu

“Prêmio Marcos Ayres” – Melhor letra: R$ 1.500,00 + troféu

“Prêmio Clóvis Guerra” – Aclamação Popular: R$ 1.500,00 + troféu

CTG Brasil abre Programa de Estágio 2022

Inscrições para 16 vagas em São Paulo e Chavantes (SP) vão até 21 de novembro para estudantes de graduação

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, abre inscrições para o seu Programa de Estágio 2022. São 16 vagas em São Paulo e Chavantes (SP), e podem se inscrever estudantes que estejam cursando graduação em Engenharias Elétrica, Civil, Mecânica, Ambiental/Florestal, da Computação, e de Energia; Meteorologia/Ciências Atmosféricas; Matemática; Física; Economia; Administração de Empresas; Ciências da Computação; Tecnologia e Segurança da Informação; Direito; Biologia; Geografia; Agronomia; Psicologia e Pedagogia.

O programa tem duração de até dois anos e as inscrições vão até 21 de novembro de 2021. Para participar, é necessário que os estudantes tenham previsão de conclusão do curso para dezembro de 2023 ou dezembro de 2024, e idade a partir de 18 anos. Mais informações e inscrições aqui.

O processo seletivo será totalmente online e envolverá testes, entrevista com a consultoria de recrutamento, painel e entrevista com o gestor da área de trabalho, admissão e entrega dos documentos. O início do estágio está previsto para fevereiro de 2022. É desejável conhecimento do pacote Office e inglês (não eliminatório). O programa irá valorizar habilidades como senso de dono e cuidado com pessoas, adaptabilidade, agilidade, perfil colaborativo e eficiência.

SENAI e CTG Brasil inauguram habitat de inovação em energia limpa no Rio Grande do Norte

Na ocasião, será lançada a primeira chamada pública do SENAI em parceria com a CTG Brasil para prospecção e avaliação de tecnologias para desenvolvimento de hidrogênio verde

A CTG Brasil é a primeira empresa a inaugurar seu Habitat de Inovação no Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER), em Natal (RN). Uma das líderes em geração de energia limpa no país, a empresa vem ampliando seus investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação, buscando soluções inovadoras para os desafios da empresa e do setor elétrico, e que beneficiem o meio ambiente e a sociedade. A ação faz parte de uma grande parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para impulsionar o fortalecimento de pesquisas e projetos em inovação com foco no setor elétrico brasileiro. Durante a inauguração do espaço, será lançada também a primeira Chamada Pública – Missão Estratégica Hidrogênio Verde.

Os Habitats de Inovação são ambientes colaborativos para fortalecer o relacionamento com as indústrias,  e, no caso deste que está sendo inaugurado, oferece espaço físico vinculado ao Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER). O ISI-ER será responsável por compartilhar a infraestrutura e a equipe especializada para que empresas possam identificar e desenvolver produtos e processos inovadores utilizando o habitat. Os resultados esperados são o desenvolvimento local e nacional, com a cocriação de soluções personalizadas em pesquisa, desenvolvimento e inovação ((PD&I).

“A rede nacional de Institutos SENAI de Inovação é a maior infraestrutura inovativa do país e está totalmente engajada no desenvolvimento de soluções inovadoras que vão ajudar na competitividade do setor elétrico no Brasil. A parceria com a CTG Brasil é fundamental para o desenvolvimento de novas tecnologias em energias renováveis, promovendo conexão com pesquisadores da Europa e China, acelerando as rotas tecnológicas no Brasil”, ressalta o diretor nacional do SENAI, Rafael Lucchesi.

O Habitat de Inovação em Energia Limpa da CTG Brasil irá auxiliar na busca de parcerias com empresas, instituições e startups no Brasil e, posteriormente, pode colaborar para viabilizar parcerias internacionais. A empresa visa atrair soluções com foco em fontes renováveis de energia para novos negócios, comercialização de energia e na cadeia de valor do hidrogênio verde.

“A produção de energia limpa e a inovação estão em nosso DNA e temos investido em parcerias estratégicas, como essa com o SENAI, com o objetivo de impulsionar o ecossistema de inovação e gerar soluções para os desafios da empresa, do setor elétrico e da sociedade, contribuindo também para o desenvolvimento, inclusive científico, do País. Seguimos investindo na matriz hidrelétrica brasileira, com foco na diversificação de nosso portfólio de ativos e na complementariedade das fontes de geração de energia”, ressalta Silvio Scucuglia, diretor de Estratégia e Desempenho Empresarial da CTG Brasil. O habitat do Rio Grande do Norte é o segundo espaço de inovação da CTG Brasil.  A empresa conta ainda com o CTG Brasil Innovation Hub em São Paulo, outro fruto da parceria com o SENAI.

Para o diretor do ISI-ER e do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), Rodrigo Mello, a chegada da CTG Brasil é apontada como impulso para que o estado do Rio Grande do Norte se posicione na vanguarda da tecnologia. “É um passo importante em um contexto em que o Brasil, um país de commodities, precisa de produtos com mais valor agregado. E o RN, que é líder em geração de energia eólica, também se posiciona dessa maneira como um estado que contribui para o país entrar na vanguarda internacional da tecnologia em um setor estratégico”, observou.

Missão Estratégica Hidrogênio Verde

Além da inauguração do Habitat de Inovação em Energia Limpa, o SENAI e a CTG Brasil lançam, nesta quinta-feira (14), a Chamada Pública – Missão Estratégica Hidrogênio Verde para prospecção e avaliação de arranjos técnicos, comerciais e tecnologias que envolvam e fomentem a cadeia de valor do hidrogênio verde. O objetivo é impulsionar soluções em energia limpa, com foco na produção, armazenamento, distribuição e novas fontes, mas também em outras áreas que fazem parte da cadeia de hidrogênio verde, como mobilidade, indústrias e agricultura.

Acesse aqui o regulamento

Para o Superintendente de Inovação e Tecnologia, Jefferson Gomes, é fundamental inserir o hidrogênio verde como alternativa de fonte de energia, além de criar mecanismos de apoio e incentivo para viabilização da tecnologia no Brasil. “Temos um grande desafio pela frente, em mostrar que é possível desenvolver outras fontes de energias. O uso do hidrogênio verde ainda é novidade na indústria, mas acreditamos que assumirá um papel importante na transição energética e sustentável no país”, afirma.

A chamada faz parte da categoria Missão Industrial e as inscrições podem ser feitas por meio da Plataforma Inovação para a Indústria. Empresas, startups, instituições de Ciência e Pesquisa, públicas ou privadas, interessadas em solução e desafios para desenvolvimento da cadeia de hidrogênio verde no País têm até o dia 19 de novembro para se inscreverem.

O investimento inicial neste projeto é de até R$ 18 milhões, sendo R$ 3 milhões de contrapartida do SENAI para distribuição, conforme regras pré-estabelecidas em edital. O prazo máximo para execução dos projetos é de 36 meses, contados a partir da data de assinatura do Contrato de Desenvolvimento de Trabalho Técnico e Científico.

A ação será coordenada pelo Departamento Regional SENAI, do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER). O ISI-ER terá um papel fundamental na estruturação e curadoria dos projetos recebidos de acordo com o edital.

CTG Brasil conclui reassentamento de famílias na região da Usina Garibaldi

Ao todo, 18 famílias das comunidades Campinho e Rodeio da Pedra receberam as matrículas de registro de seus imóveis

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia no País e concessionária da Usina Garibaldi, no rio Canoas, concluiu o processo de regularização fundiária do reassentamento de nove famílias da Comunidade Campinho, no município de Cerro Negro (SC). A ação beneficia famílias que mantinham vínculo efetivo e de dependência econômica com as áreas impactadas durante a construção da usina e que precisaram ser realocadas – na época, elas exerciam atividades agropecuárias nas áreas impactadas, mas não eram proprietárias dos imóveis.

Essas famílias, que têm como principal fonte de renda a atividade agrícola, foram realocadas, receberam seus lotes de terras com toda a infraestrutura necessária (residência, galpão, acesso à energia elétrica e a água), bem como auxílio inicial e assistência técnica da CTG Brasil. Agora, com a entrega das matrículas de registro dos imóveis, é oficializada a transferência definitiva dessas propriedades rurais, concluindo a emancipação do reassentamento. Com esses documentos, além de se tornarem proprietárias dos imóveis, as famílias mantêm o acesso a programas de custeio agrícola, seguro de produção, entre outros, mas de forma independente.

No ano passado, a CTG Brasil também já havia concluído a regularização fundiária do reassentamento de outras nove famílias da Comunidade Rodeio da Pedra, no interior de Campo Belo do Sul (SC). “A conclusão da regularização fundiária desses dois reassentamentos é um marco para a CTG Brasil. Foi um processo longo e importante, incluindo etapas como a escolha e compra das áreas, construção dos imóveis, regularização fundiária e transferência e fornecimento de documentação de posse para as famílias. Dessa forma, mais do que mitigar os impactos a essas famílias, contribuímos com o seu desenvolvimento por meio de melhorias na sua qualidade da vida e regularização da posse da terra”, afirma Ivan Toyama, gerente Fundiário da CTG Brasil.

Outras ações

Em 2019, a empresa entregou obras de reforma e ampliação do Núcleo Comunitário Campinho, que incluíram melhorias na igreja, no salão de festas e na escola primária, além de estruturas de apoio para realização de eventos e festividades, como novos banheiros adaptados para pessoas com necessidades especiais, vestiários, cozinha e churrasqueiras. Também foi entregue uma nova igreja para a Comunidade Rodeio da Pedra, de Campo Belo do Sul. A reforma e ampliação dessas instalações fazem parte das obras compensatórias relacionadas à Usina Garibaldi, administrada pela CTG Brasil.