Chavantes, uma das usinas mais importantes do Paranapanema, comemora 50 anos

Com 414 megawatts de capacidade instalada, hidrelétrica impulsionou o desenvolvimento econômico da região.

A Usina Hidrelétrica Chavantes, uma das mais importantes do rio Paranapanema, completa 50 anos no próximo dia 6 de fevereiro. Localizada na divisa do estado de São Paulo com o Paraná, entre Chavantes (SP) e Ribeirão Claro (PR), a usina possui grande relevância, contribuindo para o setor elétrico com 414 MW de capacidade instalada, energia suficiente para abastecer uma cidade de 840.000 habitantes.

“A UHE Chavantes tem importância histórica e chama a atenção por sua beleza, além de ser uma usina fundamental no fornecimento de energia elétrica para o Sistema Interligado Nacional e para o equilíbrio da bacia do Rio Paranapanema”, diz Marcio Peres, diretor de Gestão de Ativos de Geração da CTG Brasil, empresa responsável pela administração da UHE Chavantes.

As obras de construção da usina foram iniciadas em 1959 e seu primeiro grupo gerador entrou em operação em 1970. Quando foi inaugurada, a UHE Chavantes era o maior empreendimento hidrelétrico da região e um dos maiores do Estado, representando significativo impulso para o desenvolvimento do Vale do Paranapanema.

Os números da barragem impressionam. São 89 metros de altura e 500 metros de comprimento. Na construção, foram utilizados 6 milhões de m³ de material.

A UHE Chavantes se destaca ainda por ser reservatório de acumulação, com capacidade total de armazenamento de 8,8 bilhões de m³ de água, sendo 3,04 bilhões de m³ destinados à geração de energia elétrica.

Além disso, o reservatório da usina – um lago límpido de 419 km² (maior do que 57 mil campos de futebol), com bordas que se estendem por 1.085 km – banha 15 municípios paranaenses e paulistas, entre eles Piraju, Ribeirão Claro e Carlópolis.

Também está instalado na UHE Chavantes o Centro de Operação da Geração (COG), responsável por supervisionar e operar remotamente as 8 usinas da CTG Brasil no Paranapanema e duas Pequenas Centrais Hidrelétricas no Rio Sapucaí Mirim, e a Vila Técnica, base para equipes de manutenção e operação.

O nome – No início, Chavantes era chamada de Usina Itararé, por causa do rio Itararé, afluente do Paranapanema. Mas ainda no início da construção o nome foi substituído por Xavantes, numa referência ao primeiro grupo indígena da região, os índios Oti-Xavantes. A mudança na grafia, de X para CH, ocorreu apenas nos anos 1990, acompanhando a alteração no nome do município de Chavantes, sede da usina.

Laços de família – O operador de Telecom Jessé Rubens de Carvalho, 43 anos, tem sua história e de sua família intrinsecamente ligadas à Usina Chavantes. Cresceu acompanhando o pai, Claudomiro de Carvalho que começou em 1959, antes mesmo do início da construção da barragem, extraindo areia para concretagem e outros serviços, e onde permaneceu até 1982. “Me sinto privilegiado pela oportunidade de ter três gerações da família aqui na usina. A usina Chavantes é minha segunda casa”, diz.

Seu filho, Jessé Junior, 21, é Técnico de Produção Junior e está na empresa há 1 ano. “Eu era criança quando meu pai me trouxe pela primeira vez para conhecer o lugar onde ele trabalhava. Nunca esqueci a experiência de ver essa paisagem e a dimensão de uma usina hidrelétrica”, lembra Junior. “Aquilo despertou em mim o sonho de trabalhar aqui um dia. Esse sonho eu realizei. O outro, agora, é ser uma fração do homem que meu pai é.”

CTG Brasil solta meio milhão de peixes no rio Paranapanema

Solturas ocorreram nos municípios de Timburi, Salto Grande, Palmital, Taciba e Ribeirão Claro

As solturas foram realizadas no dia 20, no camping municipal de Timburi; dia 21, na Vila dos Pescadores, à jusante de Salto Grande; dia 22, no Clube Beira-Rio, em Palmital; dia 23, em Taciba; e nesta sexta-feira, dia 24, em Ribeirão Claro.

A ação faz parte do Programa de Manejo e Conservação da Ictiofauna, realizado pela CTG Brasil com o objetivo de repovoar e garantir a diversidade de peixes por meio da produção e soltura de espécies nativas. As solturas são autorizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Os peixes são produzidos na Estação de Piscicultura, mantida pela CTG Brasil em Salto Grande. No laboratório, além da produção de peixes, são desenvolvidas pesquisas em parceria com universidades.

CTG Brasil beneficia mil pessoas com ações voluntárias

Empresa promoveu Semana do Voluntariado, que envolveu 11 instituições e a participação de 300 colaboradores

Com objetivo de fortalecer ainda mais os laços com a comunidade, a CTG Brasil, segunda maior geradora privada de energia do País, promoveu em dezembro a Semana do Voluntariado. As ações envolveram a participação de cerca de 300 colaboradores, que realizaram trabalhos em 11 instituições de municípios localizados na área de atuação da empresa.

Organizada pelo segundo ano consecutivo, a Semana do Voluntariado conta com o apoio e suporte da Atados, ONG especializada em voluntariado, e beneficiou nesta edição aproximadamente mil pessoas.

Três dessas ações ocorreram em cidades do rio Paranapanema, onde a empresa administra oito usinas hidrelétricas.

Em Porecatu, na região da UHE Capivara, por exemplo, os voluntários realizaram atividade de pintura e reparo nos brinquedos do parque infantil “Alzira Gonçalves Fernandes”. Em Ourinhos, cidade próxima às Usinas Chavantes e Salto Grande, os voluntários arrecadaram brinquedos para as crianças do Seminário de Nossa Senhora de Guadalupe, com presença do Papai Noel. E em Assis, na região das UHEs Canoas I e II, eles participaram de atividades recreativas e reformaram a cobertura do Abrigo de Idosos.

Em Três Lagoas, região da UHE Jupiá, os voluntários participaram de oficina na Associação Cultural e Ancestral Africabrasil Capoeira, para confeccionar, com participação dos alunos, instrumentos como berimbau, tambor e caxixi. Antes, em Selvíria, a ação envolveu interação com idosos do Lar do Idoso “Paulo de Tarso”.

Já em Abdon Batista, região da UHE Garibaldi, os voluntários realizaram atividades com crianças e jovens assistidos pela APAE Vida Nova.

Segundo Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade, o Programa de Voluntariado da CTG Brasil nasceu com o objetivo de incentivar os colaboradores a oferecer seu tempo e suas habilidades como forma de contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades onde a empresa atua.

A escolha das instituições é feita pelos colaboradores, e as ações definidas pelos voluntários em conjunto com cada instituição. Antes de irem a campo, no entanto, todos passam por capacitação.

“Entendemos que o desenvolvimento sustentável deve permear todas as nossas atividades e, por meio dessas ações, os colaboradores têm uma oportunidade de aprender e experimentar situações que contribuirão com seu próprio crescimento, além de promover o bem para outras pessoas”, destaca Salete.

Saiba mais no Portal do Voluntariado: https://voluntariadoctgbrasil.v2v.net/pt-BR.

CTG Brasil aumenta em 50% investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento para geração de energia limpa

Anuário 2019 mostra panorama dos 23 projetos de Pesquisa & Desenvolvimento liderados pela empresa, com foco em preservação do meio ambiente e eficiência operacional

São Paulo, 05 de dezembro de 2019 – A CTG Brasil anuncia crescimento de 50% em relação ao ano passado em seus investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D Aneel). Em 2019, a empresa, que tem a Inovação como um de seus pilares estratégicos, está investindo R$ 12 milhões em 23 projetos, detalhados no seu Anuário P&D 2019, que acaba de ser disponibilizado em versão online.

“A CTG Brasil vem intensificando a busca e incorporação de novas tecnologias, como inteligência artificial, big data, bioprocessamento avançado, biotecnologias, redes de comunicação e Internet das Coisas. Nosso objetivo é desenvolver projetos que contribuam para a resolução dos desafios do setor, aumentem a segurança na geração de energia e gerem valor para toda a sociedade”, afirma Evandro Vasconcelos, vice-presidente de Geração e Comercialização da companhia.

Para orientar suas atividades de P&D em 2019, a CTG Brasil desenvolveu um road map tecnológico. De acordo com Vasconcelos, “o trabalho consistiu, principalmente, em identificar e mapear as principais linhas de projetos relacionadas à estratégia da CTG Brasil, por meio de workshops e entrevistas com diversas áreas da empresa”. Para os próximos cinco anos, já estão previstos investimentos adicionais de ao menos R$ 100 milhões em P&D, frutos da parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para a criação do Clean Energy Innovation Hub, focado em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que contribuam com a geração de energia limpa no Brasil.

Meio ambiente e eficiência operacional são prioridades

Atualmente, quase metade do portfólio de projetos de P&D da CTG Brasil é voltada à preservação do meio ambiente. Ao todo, são 10 projetos dedicados a encontrar soluções para questões ambientais. Um exemplo, iniciado em 2019, é o desenvolvimento de tecnologias reprodutivas para preservar uma espécie de peixes ameaçada de extinção, a piracanjuba. O projeto tem investimento de R$ 7,1 milhões e é realizado em parceria com o Instituto Chico Mendes, o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais e o Laboratório de Biotecnologia de Peixes.

Ainda em 2019, foi entregue a primeira fase do projeto de desenvolvimento de tecnologias para valoração do capital natural em programas de meio ambiente. O trabalho visa mensurar a despesa financeira evitada por empresas de diversos segmentos a partir da preservação do meio ambiente. Com investimento inicial de R$ 2,7 milhões, o projeto, desenvolvido em parceria com o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPE), entrará na segunda fase em 2020, com duração prevista de três anos.

Do ponto de vista da eficiência operacional, uma das principais iniciativas foi concluída em 2019, com a criação de um modelo computacional que facilita a definição da estratégia de comercialização da energia de usinas hidrelétricas. Além disso, estão em andamento projetos de previsão de demanda e preços de energia e lastro para os mercados livre e regulado e de geração distribuída.

A CTG Brasil também está liderando o desenvolvimento de uma ferramenta computacional que busca contribuir para uma sinalização cada vez mais precisa da necessidade de acionamento de usinas de diferentes fontes de geração de energia para atendimento ao consumo de energia elétrica no País, colaborando com a correta formação de preço do insumo.

Para conhecer todos os projetos do Anuário P&D 2019 da CTG Brasil, clique aqui.

CTG Brasil anuncia investimento de R$100M em hub de inovação em energia limpa

Em parceria com o SENAI, Clean Energy Innovation Hub vai desenvolver projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no setor elétrico, fortalecendo o intercâmbio entre Brasil e China

São Paulo, 13 de novembro de 2019 – A CTG Brasil acaba de assinar um acordo de cooperação com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para a criação do Clean Energy Innovation Hub, focado em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que contribuam com a geração de energia limpa no Brasil.  O investimento inicial previsto para os próximos cinco anos é de R$ 100 milhões.

O acordo foi assinado nesta quarta-feira (13/11), em Brasília (DF), por Evandro Vasconcelos, vice-presidente de geração, Liu Yujun, vice-presidente de Novos Negócios, ambos da CTG Brasil, e Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Conselho Nacional do SENAI. A inauguração do espaço está prevista para o primeiro semestre de 2020, em São Paulo. O hub também contará com uma base na China, para intercâmbio de conhecimento entre os profissionais envolvidos no projeto.

O novo espaço iniciará suas atividades com foco em propor soluções para planejamento, gestão e segurança de usinas hidrelétricas, responsabilidade social e ambiental e eficiência energética. Outras empresas do setor elétrico e de qualquer outro mercado poderão se juntar ao hub.  “Estamos abertos para contribuir e aprender com as melhores ideias. Optamos por abrir o espaço dessa forma porque acreditamos que as descobertas de outros setores podem ser úteis para o setor elétrico também, com as devidas adaptações”, explica Vasconcelos.

O centro buscará, principalmente, financiar projetos de P&D, elaborando propostas dos Institutos de Inovação do SENAI em cooperação com universidades ou outras organizações de pesquisa e tecnologia do Brasil e da China. Vasconcelos afirma, ainda, que “o objetivo é usar ferramentas como inteligência artificial, machine learning e big data para encontrar soluções que aumentem a excelência operacional e mitiguem impactos ambientais, reduzindo riscos e custos no Brasil e em todos os países onde estamos presentes”.

O hub também irá propor desafios de inovação para startups, incluindo financiamento para projetos, e buscará desenvolver agendas com eventos, workshops e intercâmbios entre os dois países, além de promover o engajamento e o compartilhamento de conhecimentos entre pesquisadores de projetos de P&D, colaboradores da CTG Brasil e especialistas do SENAI.

As prioridades de P&D da Aneel têm sido a principal base do atual portfólio de projetos de P&D da CTG Brasil e peça-chave para a sustentabilidade e sucesso da parceria científica com o SENAI. Em 2019, a geradora deve investir R$ 12 milhões em 21 projetos de P&D, um crescimento de 66% em relação ao aportado no ano anterior.

“A rede nacional de Institutos SENAI de Inovação é a maior infraestrutura inovativa do País e está totalmente engajada no desenvolvimento de soluções inovadoras que vão ajudar na competitividade do setor elétrico no Brasil”, afirma o presidente da CNI. “A parceria com a CTG reforça esse trabalho, assim como estimula a criação de startups brasileiras na área de energia e a troca consistente de conhecimento entre Brasil e China”, complementa.

Parceria já rendeu frutos

A CTG Brasil já firma parcerias com o SENAI desde 2017, quando iniciou o projeto de controle da infestação por mexilhão dourado nas áreas das usinas hidrelétricas por indução genética da infertilidade. A iniciativa, que também tem participação da Bio Bureau, recebeu mais de R$ 2,5 milhões para reduzir os impactos negativos à biodiversidade nativa, prejuízos à pesca e problemas para o setor de saneamento, como entupimento de canos, dutos e tubulações de água, esgoto e irrigação.

Outro projeto da empresa com o SENAI é de 2019, para o aproveitamento de plantas aquáticas, conhecidas como macrófitas, na produção de biocombustíveis. Nesse caso, a duração prevista é de três anos, com investimento de R$ 4,6 milhões. A continuidade das duas parcerias será parte do escopo do hub de inovação.

Sobre a CTG Brasil

Criada em 2013, a CTG Brasil é uma empresa da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em energia limpa. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da CTG Brasil hoje tem uma capacidade total instalada de 8,28 GW. Segunda maior geradora privada de energia do país, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

Sobre o SENAI

O SENAI é o maior complexo de educação profissional e serviços técnicos e tecnológicos da América Latina. Desde que foi criado, em 1942, já realizou mais de 76 milhões de matrículas em cursos que vão da iniciação profissional, passando por cursos técnicos até a pós-graduação tecnológica. Com uma rede de 26 Institutos de Inovação e 58 Institutos de Tecnologia, o SENAI também é a maior instituição de apoio à indústria em projetos de pesquisa, desenvolvimento, inovação e serviços técnicos.

Zé Geraldo e Marcelo Jeneci estão entre as atrações do Festival de MPB de Ilha Solteira

Evento gratuito acontece entre 30/10 e 2/11, e conta com patrocínio da CTG Brasil

Zé Geraldo, Marcelo Jeneci, Lilian Jardim e Orquestra Jovem de Ilha Solteira são alguns dos shows que vão integrar a 45ª edição do Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira, que será realizado entre 30 de outubro e 2 de novembro. Promovido pelo Ministério da Cidadania, Secretaria Especial de Cultura e Fundação Cultural de Ilha Solteira, em parceria com a Prefeitura Municipal, o evento conta com patrocínio da CTG Brasil, via Lei de Incentivo à Cultura.

No primeiro dia de evento, 30 de outubro, será a vez do show Palco Ilhense, apresentação composta por três pocket shows realizados por cantores da cidade – Djalma Djah, os irmãos Denis e Alan Ferreira (da banda Pulso Acoustic Rock), e os músicos Pedro Zuquerato e Paulim Farinha (que formam o duo Raiz de Dois).

Já na quinta-feira, 31 de outubro, o Festival será aberto com show da cantora Lilian Jardim, que fará um tributo à roqueira Cássia Eller. Já na sexta-feira, 1º de novembro, logo depois das Eliminatórias da Fase Nacional, a atração será o cantor Marcelo Jeneci, que apresentará seu novo álbum, “Guaia”, no qual volta às origens ao homenagear o bairro em que cresceu, Guaianazes, em São Paulo (SP).

No sábado, 2 de novembro, a Orquestra Jovem de Ilha Solteira abre os shows do dia, seguida das apresentações da Final Nacional e do encerramento com o cantor Zé Geraldo.

Para a diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, Salete da Hora, patrocinar ações que levem mais lazer e cultura é um modo da empresa participar do desenvolvimento das regiões no entorno das usinas e também de reforçar seu compromisso com essas comunidades. “Projetos que agregam valor para as pessoas, isso é que nos inspira”, diz Salete.

Neste ano, o 45º Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira recebeu inscrições de 116 cidades do Brasil, de 19 Estados. Além disso, o Festival também recebeu inscrições vindas de outros três países: Colômbia, Japão e Portugal.

Livro interativo traz histórias e curiosidades sobre o rio Paraná

Obra, que terá distribuição gratuita em escolas públicas da região, tem patrocínio da CTG Brasil

A partir deste mês, cerca de 1,5 mil estudantes de escolas públicas de ensino fundamental de 53 municípios de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás receberão gratuitamente o livro ‘Pelos caminhos do rio Paraná’, de autoria da jornalista Ana Carolina Amaral. A obra, que também está à venda em livrarias, tem patrocínio da CTG Brasil, e foi idealizada pela Horizonte Educação e Comunicação e viabilizada por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

Escrito em formato de livro-reportagem, ‘Pelos caminhos do rio Paraná’ conta a história e os acontecimentos mais marcantes relacionados com o segundo maior rio da América Latina, o Paraná, passando pela construção das usinas Ilha Solteira e Jupiá, consideradas grandes propulsoras do crescimento local e reconhecidas por, até hoje, levar desenvolvimento para as regiões onde estão localizadas. As duas usinas são operadas pela CTG Brasil e estão passando por um projeto de modernização – o maior em andamento no Brasil – que conta com investimento de cerca de R$ 3 bilhões

O livro, que faz parte de um amplo projeto cultural, com foco educacional, inclui guias de estudo específicos e material complementar disponíveis em www.projetorioparana.com.br.

“As comunidades do entorno de nossas usinas estão entre as nossas prioridades. Buscamos não só manter relacionamentos duradouros, mas também participar do desenvolvimento dessas comunidades, levando cultura, educação e lazer. Patrocinar esse projeto é possibilitar que cada vez mais pessoas tenham acesso à leitura e à história do rio Paraná, onde estão as principais usinas da CTG Brasil, é uma das formas de alcançarmos esses objetivos”, diz Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da companhia.

Interatividade
Para criação da obra, a autora reuniu informações e histórias sobre o rio, considerado hoje o oitavo maior em extensão no mundo. A maioria das fotos é de Ricardo Martins e Danilo Fiuza, e mostra trechos do rio e suas belezas naturais, além da rotina de populações ribeirinhas, cultura local e economia.

O livro vem acompanhado de conteúdos exclusivos que poderão ser acessados a partir de QR Codes que direcionam o leitor a vídeos com histórias, entrevistas e curiosidades sobre o rio e sua bacia hidrográfica, mostrando atividades como pesca, mergulho, turismo, produção agrícola, geração de energia e muito mais. O trabalho de captação de imagens, pesquisas, elaboração de textos e montagem da publicação durou 10 meses.

Sobre a autora
Ana Carolina Amaral é repórter de meio ambiente no jornal Folha de S. Paulo, onde assina o blog Ambiência, e ocupa a secretaria-executiva da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental. Jornalista formada pela Unesp e mestre em Ciências Holísticas pelo Schumacher College, desenvolveu uma proposta de jornalismo holístico para incluir o contexto ambiental na interpretação dos acontecimentos. Desde 2012 cobre conferências da ONU como a Rio+20, as negociações do Acordo de Paris e, recentemente, a Cúpula do Clima de Nova York.

Sobre a Horizonte
Desde 1984, a Horizonte Educação e Comunicação desenvolve projetos editoriais, culturais e educacionais para seus clientes. Sua especialidade está em temas de responsabilidade social, sustentabilidade e patrimônio histórico e cultural. O objetivo final de seus trabalhos é consolidar a imagem de empresas socialmente responsáveis e ambientalmente sustentáveis.

Festival cultural gratuito celebra comunidade e instituições do centro de São Paulo

Evento “Museu da Energia de Portas Abertas” trará atrações como bloco Ilú Obá de Min e peças de teatro nos dias 11 e 12 de outubro

Ruas e museus do centro de São Paulo receberão um festival cultural gratuito nos dias 11 e 12 de outubro para celebrar a convivência nos bairros da Barra Funda, Bom Retiro, Campos Elíseos e Luz.

Com mais de 20 atrações, o evento “Museu da Energia de Portas Abertas” é organizado anualmente pelo Museu da Energia, instituição patrocinada pela CTG Brasil, segunda maior geradora privada de energia do país. A ação busca integrar ações realizadas com a comunidade escolar, idosos, grupos de imigrantes, pessoas em situação de vulnerabilidade social e centros culturais parceiros.

As atividades ocorrerão dentro do museu e nas instituições vizinhas que atuam na região central da cidade de São Paulo (SP). Um dos destaques será o ensaio do bloco Ilú Obá de Min, formado por percussionistas mulheres para promover a cultura negra. A apresentação ocorre no sábado (12), às 15h, em frente ao Museu da Energia, na alameda Cleveland.

Na sexta-feira (11), interessados poderão se encontrar às 14h no Espaço Cultural Porto Seguro para uma saída fotográfica pelas ruas do bairro Campos Elíseos. Oficinas para crianças na horta comunitária, espetáculos de dança, peças de teatro e até um piquenique colaborativo também integram a programação.

“Será uma onda de ações espalhadas nos bairros históricos de São Paulo que possibilita ao público conhecer e aproveitar vários espaços culturais no mesmo dia”, diz Luciana Nemes, coordenadora do Museu da Energia de São Paulo. “O ‘Portas Abertas’ também é uma forma de agradecer todo o vínculo que construímos com a comunidade e parceiros, e fortalecer a união que segue em 2020. Juntos, atuamos em uma região vulnerável e que, ao mesmo tempo, tem muita riqueza cultural e histórica”, afirma.

“O objetivo é proporcionar uma programação relevante e divertida para as famílias”, explica Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil, patrocinadora do Museu da Energia de São Paulo. “O apoio contínuo da empresa ao Museu é uma forma de colaborarmos para manter viva a memória do setor elétrico e, também, de promovermos o cenário sociocultural e educativo da capital.”

A programação completa do evento e maiores informações podem ser acessadas no site  http://www.museudaenergia.org.br/portasabertas.html.

Serviço – Museu da Energia de Portas Abertas

Datas: 11 e 12 de outubro

Informações: 11 3224-1489

Programação em http://www.museudaenergia.org.br/portasabertas.html

CTG Brasil lança página para divulgar vagas e atrair novos talentos

Oportunidades de carreira incluem usinas e escritórios da empresa

A CTG Brasil agora disponibiliza aos candidatos interessados em trabalhar na segunda maior geradora privada de energia do Brasil uma página voltada a oportunidades de carreira e espaço para cadastro de currículo. O sistema para atração e seleção de novos profissionais reúne oportunidades oferecidas pela empresa nas 14 usinas hidrelétricas e nas duas sedes administrativas localizadas em São Paulo (SP) e Curitiba (PR).

“Nosso objetivo é atrair talentos que se identifiquem com nossos valores. Temos a diversidade e o respeito em nosso DNA, e o compromisso de oferecer a todas as pessoas que vêm para o nosso time a oportunidade de se desenvolver e crescer com a gente”, afirma a diretora de Recursos Humanos da CTG Brasil, Giovanna Poladian.

Algumas das oportunidades abertas atualmente são para a área de Manutenção nas usinas Jupiá, no Rio Paraná, e Capivara e Chavantes, no Rio Paranapanema.

Para se candidatar, os interessados devem acessar a nova página da CTG Brasil em https://jobs.kenoby.com/ctgbrasil. Lá, é possível conhecer mais sobre o perfil da empresa, cadastrar o currículo no banco de talentos para futuras oportunidades ou já conferir os requisitos e se candidatar para uma das vagas abertas.

Alunos de Selvíria participam de plantio de mudas às margens do Rio Paraná

Ação, em comemoração ao Dia da Árvore, foi promovida pela CTG Brasil e Prefeitura do município 

A CTG Brasil e a Prefeitura de Selvíria realizaram na manhã desta quarta-feira, 18, o plantio de mudas para a recuperação de parte de uma área de 8 hectares de preservação permanente na região do reservatório da Usina Ilha Solteira, no Rio Paraná.

Cerca de 50 pessoas participaram da atividade, incluindo alunos das escolas municipais Prof.º Nelson Duarte Rocha e Joaquim Camargo, equipes da CTG Brasil e autoridades, como o prefeito de Selvíria, José Fernando Barbosa.

A ação, integrada à programação da cidade para celebrar o Dia da Árvore, comemorado em 21 de setembro, marca também o fim do trabalho de desmobilização e regularização ambiental da área, iniciado em 2018 dentro do Espaço Legal, campanha da CTG Brasil que usa o diálogo para reforçar junto às comunidades a importância do uso consciente e regular das margens dos reservatórios.

“Esse trabalho, desenvolvido com o apoio do poder público, é um exemplo de restauração de uma área por meio da conscientização e educação ambiental, que traz benefícios para toda a população da região”, afirma Ivan Toyama, gerente de Patrimônio Imobiliário da CTG Brasil.

Para o prefeito de Selvíria, José Fernando Barbosa, a ação é importante pois une preservação e conscientização ao mesmo tempo em que visa oferecer uma área restaurada à população. “Por meio da parceria com a CTG Brasil, esperamos oferecer mais qualidade de vida à comunidade e aos frequentadores do local, ao mesmo tempo em que conscientizamos sobre a importância de se preservar a natureza”, disse ele.

Com a restauração da área, a CTG Brasil e a Prefeitura de Selvíria vão analisar a viabilidade de um contrato de cessão de uso para transformar o local em uma área pública de lazer.

Dia da Árvore – Entre as atividades da Prefeitura de Selvíria para comemorar o Dia da Árvore, está programado para sábado, dia 21, o 3º Passeio Ciclístico – Pedalando Pelo Verde, com o plantio de 400 mudas na Avenida Profª Marilucia Torres Laluce. As mudas, de árvores frutíferas e ornamentais, foram doadas pela CTG Brasil.